Política Ciência e Tecnologia

Cérebro humano vai além do "abordar ou evitar" em respostas emocionais, revela pesquisa

**Correr gritando ou recuar devagar? Novo estudo revela como o cérebro responde a situações emocionais** Um estudo inovador publicado na Nature Communications, liderado pela neurocientista Prof.

Por Comando da Notícia

09/07/2024 às 20:41:27 - Atualizado há
Foto: MattLphotography - Copyright (c) 2021 MattLphotography/Shutterstock. No use without permission.

**Correr gritando ou recuar devagar? Novo estudo revela como o cérebro responde a situações emocionais**

Um estudo inovador publicado na Nature Communications, liderado pela neurocientista Prof. Sonia Bishop do Trinity College Dublin, em colaboração com Samy Abdel-Ghaffar do Google, oferece insights cruciais sobre como o cérebro humano processa e reage a estímulos emocionais complexos. A pesquisa investigou como o cérebro não apenas reconhece, mas também categoriza e responde a objetos e cenas emocionalmente carregadas. Em vez de simplesmente escolher entre abordar ou evitar, como em estudos anteriores, os resultados mostram que o cérebro humano é capaz de uma gama muito mais ampla de respostas comportamentais frente a estímulos emocionais, como um urso ameaçador ou uma pessoa ferida.

Utilizando técnicas avançadas de neuroimagem funcional, os pesquisadores analisaram a atividade cerebral de voluntários enquanto estes visualizavam mais de 1.500 imagens representando diversas situações emocionais, desde cenas positivas como abraços até imagens negativas como confrontos agressivos. Os resultados revelaram que o córtex temporal occipital (OTC), localizado na parte posterior do cérebro, não só distingue diferentes categorias de estímulos (como humanos, animais, paisagens) mas também codifica suas características emocionais (positivas, negativas ou neutras) e a intensidade emocional associada.

A abordagem inovadora do estudo, utilizando modelos de aprendizado de máquina para mapear padrões cerebrais, destacou como o OTC não apenas representa essas informações de maneira estável, mas também as utiliza para prever comportamentos associados às imagens visualizadas. Por exemplo, a reação “evitar” a um urso grande pode ser diferente da reação a um animal fraco e doente, mostrando a complexidade das respostas cerebrais a diferentes estímulos. Para Prof. Bishop, essas descobertas são cruciais para entender como o cérebro humano processa estímulos naturais emocionais e pode lançar luz sobre diferenças individuais em condições neurológicas e psiquiátricas.

Além disso, o estudo sugere novas direções para pesquisas futuras em neurociência comportamental e saúde mental, potencialmente ajudando no desenvolvimento de terapias mais eficazes. Este estudo não apenas amplia nosso conhecimento sobre a complexidade das respostas cerebrais a estímulos emocionais, mas também destaca a importância de investigar como essas respostas variam entre indivíduos e em diferentes contextos emocionais.

Fonte: GAZETA BRASIL
Comunicar erro

Comentários Comunicar erro

Comando Geral BG

© 2024 Comando Geral BG - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Comando Geral BG
Acompanhantes de Goi?nia