Polícia RAGNATELA

Vereador é alvo de operação contra lavagem de dinheiro de facção em MT

Conforme apurado pela reportagem, o vereador foi alvo de busca e apreensão e teve seu carro apreendido pelos policiais.

Por Gustavo Castro, Luis Vinícius e Max Aguiar| Olhar Direto

05/06/2024 às 11:19:22 - Atualizado h√°
OLHAR DIRETO


Investigação da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Mato Grosso (Ficco-MT), no âmbito da Operação Ragnatela, apontou que o vereador Paulo Henrique (MDB), ex-l√≠der do prefeito na Câmara, atuava em benef√≠cio do grupo na interlocução com os agentes p√ļblicos, recebendo, em contrapartida, benef√≠cios financeiros.

Conforme apurado pela reportagem, o vereador foi alvo de busca e apreensão e teve seu carro apreendido pelos policiais.


Estão em cumprimento oito ordens de prisões preventivas, 36 buscas e apreensões, nove sequestros de bens imóveis e 13 de ve√≠culos; e ainda duas ordens de afastamento de cargos p√ļblicos (policial penal e fiscal da prefeitura), quatro suspensões de atividades (casa de shows) e bloqueios de contas banc√°rias.

Ainda de acordo com as investigações, o show em que o MC Daniel foi hostilizado, em dezembro do ano passado, na Capital, est√° entre os eventos promovidos na casa noturna adquirida pelo Comando Vermelho por R$ 800 mil, com lucros do crime.

Os faccionados realizavam show com MCs nacionais no local, em conjunto com promotores de evento, um deles é Rodrigo Leal. No entanto, MC Daniel foi escoltado para fora do show por ser de estado onde o Primeiro Comando da Capital (PCC) atua. Algumas pessoas jogaram copos e outros objetos no artista e na equipe dele, e teve que sair escoltado do local. Isso porque, segundo a investigação, os faccionados repassaram ordens para que não fossem contratados artistas de São Paulo, tendo em vista ser o estado do PCC, rival da que atua no estado de Mato Grosso.

Em continuidade à investigação, os policiais identificaram um esquema para introduzir celulares dentro de unidade prisional e transfer√™ncias de lideranças da facção para pres√≠dios de menor rigor penitenci√°rio, a fim de facilitar a comunicação com o grupo investigado, que se encontra em liberdade.

No √ļltimo dia 1¬ļ de junho, foi identificado que dois alvos da investigação fugiram para o estado do Rio de Janeiro. Um deles é considerado o principal l√≠der da facção criminosa investigada, atualmente em liberdade, e estava viajando com documentos falsos. Os criminosos foram abordados ainda dentro da aeronave, logo após o pouso no aeroporto carioca de Santos Dumont.

A Operação Ragnatela contou com apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas de Segurança P√ļblica (Ciopaer) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, força-tarefa permanente constitu√≠da pelo Ministério P√ļblico Estadual, Pol√≠cia Civil, PM, Pol√≠cia Penal e Sistema Socioeducativo.

A Ficco-MT é uma força integrada, composta pela Pol√≠cia Federal, Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal, Pol√≠cia Civil e Pol√≠cia Militar e tem por objetivo a atuação conjunta no combate ao crime organizado no estado do Mato Grosso.

Mais informações em instantes
Fonte: Olhar Direto
Comunicar erro

Coment√°rios Comunicar erro

Comando Geral BG

© 2024 Comando Geral BG - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Comando Geral BG
Acompanhantes de Goi?nia