Política Curiosidades

Pesquisa Inovadora Liga Uso de Cannabis na Gravidez a Riscos de Saúde Mental na Adolescência

Pesquisa Inovadora Liga Uso de Cannabis na Gravidez a Riscos de Saúde Mental na Adolescência.

Por Comando da Notícia

09/07/2024 às 00:58:38 - Atualizado h√°
Foto: Dor Crônica - O Blog

Pesquisa Inovadora Liga Uso de Cannabis na Gravidez a Riscos de Saúde Mental na Adolescência. Pesquisadores do laboratório BRAIN da Universidade de Washington em St. Louis realizaram um estudo inovador para explorar os efeitos da exposição pré-natal à cannabis no desenvolvimento neurológico a longo prazo. Publicado recentemente na Nature Mental Health, o estudo liderado pelos cientistas Sarah Paul e David Baranger revelou novas pistas sobre como a cannabis pode influenciar o cérebro em desenvolvimento e potencialmente aumentar o risco de problemas comportamentais na adolescência.

O interesse por esse campo de pesquisa cresceu à medida que o uso de cannabis se tornou mais prevalente, inclusive entre gestantes, com uma preocupação crescente sobre os impactos dessa exposição no neurodesenvolvimento infantil. Utilizando dados do estudo Adolescent Brain and Cognitive Development (ABCD), que acompanha cerca de 12.000 crianças nos Estados Unidos, os pesquisadores examinaram os efeitos da cannabis na estrutura cerebral e em medidas de neuroimagem.

O estudo encontrou associações intrigantes entre a exposição pré-natal à cannabis e alterações na estrutura cerebral, como reduções na neuroinflamação e mudanças na poda neuronal. Segundo Baranger, essas descobertas sugerem que a cannabis pode interferir em processos críticos de desenvolvimento cerebral, possivelmente predispondo indivíduos a distúrbios de saúde mental mais tarde na vida. No entanto, estabelecer uma relação direta de causa e efeito continua sendo um desafio devido a fatores complicadores.

Traços hereditários, influências ambientais e outros comportamentos maternos durante a gestação podem confundir os resultados, tornando essencial a realização de mais estudos prospectivos e longitudinais para esclarecer melhor esses mecanismos. “A pesquisa nos permite explorar a plausibilidade de uma ligação entre a exposição à cannabis e problemas de saúde mental na adolescência”, explicou ele. “Mas é crucial reconhecer as limitações dos estudos retrospectivos e buscar dados mais robustos e atualizados.”

Além das descobertas sobre a estrutura cerebral, os pesquisadores também consideraram possíveis efeitos anti-inflamatórios da cannabis durante o desenvolvimento fetal. Esses efeitos podem ter implicações complexas, já que a inflamação desempenha um papel crucial na formação e no refinamento do cérebro em desenvolvimento. Reduzir a inflamação em momentos críticos pode alterar a forma como o cérebro se desenvolve, potencialmente afetando habilidades cognitivas e comportamentais no futuro.

Embora o estudo ofereça insights valiosos, os pesquisadores enfatizam a importância de uma abordagem cautelosa ao interpretar os resultados. “Não podemos afirmar conclusivamente que a exposição à cannabis causa problemas de saúde mental”, ressaltou Baranger. “O que podemos fazer é identificar correlações biológicas plausíveis que merecem investigação adicional.”

À luz dessas descobertas, os pesquisadores recomendam que gestantes discutam abertamente com seus médicos sobre o uso de cannabis durante a gravidez, considerando alternativas mais seguras e os potenciais impactos na saúde neurológica de seus filhos. Em suma, enquanto a pesquisa continua a desvendar os complexos efeitos da exposição pré-natal à cannabis, novos estudos prospectivos são essenciais para informar políticas de saúde pública e orientar práticas clínicas que promovam o desenvolvimento saudável do cérebro infantil.

Fonte: GAZETA BRASIL
Comunicar erro

Coment√°rios Comunicar erro

Comando Geral BG

© 2024 Comando Geral BG - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Comando Geral BG
Acompanhantes de Goi?nia